1611
Em 3 de julho de 1611 foi promulgada uma lei declarando os aborígines livres do cativeiro. Por causa dessa lei, os embates entre os capturadores de índios e os jesuítas se acirrou e eclodiu em um grande conflito em 1612, em que os jesuítas viram-se ameaçados de expulsão do seu colégio.
Em 3 de julho de 1611 foi promulgada uma lei declarando os aborígines livres do cativeiro. Por causa dessa lei, os embates entre os capturadores de índios e os jesuítas se acirrou e eclodiu em um grande conflito em 1612, em que os jesuítas viram-se ameaçados de expulsão do seu colégio.
1619
Em 1619, a Câmara instalou-se em prédio próprio, comprado de Francisco Roiz Velho, localizado, provavelmente, na Rua São Bento.
1628
Uma das maiores viagens bandeiristas, conduzida por Antonio Raposo Tavares, partiu de São Paulo em 1628. Tratava-se de uma expedição diferente das que ocorriam no período, pois foi a primeira conduzida em larga escala. Acredita-se que tenha partido com mais de cem paulistas (entre portugueses e mamelucos) e centenas de índios. O objetivo principal era capturar índios e trazer de volta à vila aqueles que haviam fugido.

Raposo Tavares chegou a ser juiz na Câmara Municipal de São Paulo, em 1633, mas depois se pôs a caminho para outras expedições. A última delas começou em 1648 e durou três anos, percorrendo vários rios das bacias Tietê-Paraná e Amazônica, quase alcançando os Andes.

Últimas Atualizações